read to know bad or good score
узнайте больше
guaranteed approval personal loans for bad credit
instgram followers
instagram pay for likes
real instagram followers
buy real instagram followers and likes
buy real instagram followers cheap
instagram real followers

Regulamento ANLI 2022

ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE LAÇO INDIVIDUAL – ANLI

REGULAMENTO GERAL DE COMPETIÇÕES 2022

Revisado e aprovado pela Diretoria em 20/01/2022

 

Capítulo I – INTRODUÇÃO

A atividade de laçar bovinos é uma prática existente em muitas fazendas do mundo, desde o início da pecuária como atividade econômica. O trabalho diário dos fazendeiros na lida com gado (na maioria das vezes com animais criados soltos em grandes áreas – criação extensiva) inclui a realização de curativos nos bezerros (decorrentes de feridas ocorridas no pasto ou mesmo o umbigo em cicatrização após o nascimento), realização de marcação para identificação dos animais, aplicação de medicamentos, entre muitas outras necessidades.

Tais procedimentos, para serem realizados, necessitam que o animal seja apartado do rebanho e imobilizado, e isso é feito montado a cavalo, surgindo, assim, a prática do laço. Com o passar dos tempos, a atividade inicialmente praticada pelos peões passou a ser considerada atividade esportiva, regulada através de legislação específica.

Em 22 de março de 2005 foi criada a Associação Nacional do Laço de Bezerro (ANLB), posteriormente denominada Associação Nacional do Laço Individual, com sede na Rua Cândido Bueno, nº 1441 – CEP 13910-033, Centro, Jaguariúna, Estado de São Paulo, regularmente inscrita no Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas do Ministério da Fazenda sob o nº 05.685.958/0001-87, a qual objetiva a organização de eventos e o fomento do esporte do Laço Individual e do Breakaway Roping em todo o território nacional.

Através do Regulamento de Competições 2022, a ANLI apresenta para seus Associados as normas que deverão ser obedecidas nos eventos por ela oficializados, a qual reflete a expertise decorrente dos mais de 15 anos de trabalho à frente do esporte, bem como os pleitos apresentados pelos competidores de todo o Brasil.

Visando a consecução do seu objetivo social, a ANLI pretende organizar durante o ano de 2022 os eventos I) Campeonato Nacional, II) Congresso Nacional, III) Potro do Futuro IV) Prova Técnica e V) Derby. Ainda, os melhores competidores do País serão convidados a participar de uma Grande Final. Após o encerramento dessas competições, a ANLI promoverá uma prova cronometrada, cuja pontuação valerá para o campeonato de 2023, como já́ vem ocorrendo nos últimos anos.

Por conta das adversidades impostas pela COVID-19, as datas das referidas competições não serão definidas na publicação deste regulamento, tampouco o local em que as provas serão realizadas. Visando uma prévia organização, a Diretoria espera realizar os referidos eventos nas datas abaixo elencadas:

 

(a definir) Junho/2022 – Congresso Nacional

Novembro/2022 – Potro do Futuro, Prova Técnica e Derby

Novembro/2022 – Grande Final 2022 do Laço Individual e do Breakaway Roping

Novembro/2022 – Prova Cronometrada (Válida para o Calendário 2023)

 

Capítulo II – CAMPEONATO 2022

Art. 1º – Todos os Associados que estejam em dia com suas obrigações financeiras com a Associação poderão participar dos eventos por ela promovidos, especialmente I) Campeonato Nacional, II) Congresso Nacional, III) Potro do Futuro IV) Prova Técnica e V) Derby. A participação na Grande Final está condicionada a outros critérios, tratados adiante.

Art. 2º – Para participar de qualquer evento oficial ou oficializado, o Associado deverá estar em dia com suas obrigações financeiras junto à ANLI, bem como alocado em um dos handicaps previamente determinados pela Comissão de handicap, a qual é composta de no mínimo 5 profissionais do laço nomeados pela Diretoria.

Parágrafo único – Os Associados serão alocados nas categorias #1, #2, #3 e #4, DE ACORDO COM A AVALIAÇÃO TÉCNICA.

Art. 3º – Durante todo o ano de 2022, os Associados poderão competir em eventos particulares oficializados pela ANLI, realizados em todo território nacional, cujos ganhos em dinheiro serão computados para o Ranking Oficial da ANLI.

Parágrafo primeiro – O Associado terá a liberdade de escolher em quais provas deseja participar, bem como em quantas provas competirá ao longo do ano, sendo que os valores por ele ganhos nesses eventos serão computados para o ranking ANLI 2022 corresponderá ao dinheiro ganho nas provas credenciadas.

Parágrafo segundo – Os 15 (quinze) Associados, de cada categoria, com o maior número de ganhos durante o ano de 2022 terão direito a participar da Grande Final, sem o pagamento de inscrição.

Parágrafo terceiro – A soma dos valores do ranking não será zerada para a disputa da Grande Final, e o campeão do ano de 2022 será o competidor que mais acumular dinheiro ganho nas provas credenciadas durante o ano, somados aos ganhos obtidos na Grande Final (dos rounds e da média, cumulativamente).

Art. 4º – Caso o evento oficializado premie os Associados vencedores com moto, carro, trailer, etc., a ANLI somará ao ranking do competidor o valor equivalente ao que o organizador pagou pelo prêmio, ou seja, o valor correspondente ao bem oferecido como premiação, desde que previamente apresentado e aprovado pela Diretoria, no ato de credenciamento.

Art. 5º – Para que as provas sejam consideradas como credenciadas junto à ANLI, e seus ganhos sejam computados no ranking, os organizadores dos eventos deverão acatar integralmente o presente regulamento, sob pena de descredenciamento do evento.

Parágrafo único – Para credenciar uma competição junto à ANLI o promotor do evento deve realizar competições para todas as categorias de Associados, salvo eventos exclusivos para profissionais ou Breakaway Roping, os quais serão avaliados pela Diretoria antes de confirmar o credenciamento.

Art. 6º – A ANLI poderá oficializar um ou mais eventos para a mesma data, e, caso o Associado participe e obtenha premiações em ambos eventos, todos os valores por ele ganhos na mesma data serão computados ao ranking.

Art. 7º – A ANLI atualizará e divulgará o Ranking em suas redes sociais e site, no prazo máximo de 5 (cinco) dias úteis após a entrega da súmula e da comprovação do pagamento dos emolumentos decorrentes da oficialização da prova pelo organizador do evento.

Art. 8º – Na hipótese do competidor participar em categoria abaixo daquela definida como seu handicap, os valores obtidos não serão computados no ranking. Porém, se o competidor participar em categoria acima daquela definida como seu handicap, os valores obtidos serão somados e computados no ranking.

 

Capítulo III – CREDENCIAMENTO DE PROVAS

Art. 9º – Para credenciar um evento particular de Laço Individual, o interessado deverá preencher, assinar e enviar a ficha de credenciamento para o email adm@anli.com.br, com antecedência mínima 30 dias em relação à data da realização do evento a ser oficializado, bem como efetuar o pagamento da quantia mínima de R$1.000,00 (mil reais), conforme define o Artigo 12º.

Parágrafo único – A regra prevista neste artigo não se aplica para o credenciamento de evento exclusivo de Breakaway Roping, o qual deverá efetuar o pagamento do credenciamento conforme regra contida no artigo 12º deste Regulamento.

Art. 10º – Após a efetivação do credenciamento do evento, não serão aceitas remarcações ou alterações de datas, salvo e somente em casos de força maior, sendo que a remarcação deverá ser para um prazo máximo de 07 (sete) dias após a data inicialmente credenciada, e, ainda assim, a alteração será submetida à aprovação da Diretoria.

Art. 11º – Os organizadores da prova, ao efetivar o credenciamento, obrigam-se a respeitar o prazo máximo de 7 (sete) dias úteis após o encerramento da prova para envio da súmula específica da ANLI, assinada pelo promotor do evento, com o resultado completo, sendo número de inscritos, classificação e valores de premiação distribuídos.

Art. 12º – Para ser considerada credenciada à ANLI e possibilitar que as premiações dos competidores sejam computadas ao ranking, a organização deverá promover o pagamento da Taxa de Credenciamento até 07 (sete) dias úteis após o encerramento da prova, no valor de R$ 25,00 (vinte e cinco reais) por inscrição (não por competidor). 

Parágrafo único – As provas credenciadas deverão obrigatoriamente aplicar o handicap dos associados para as categorias da ANLI.

Art. 13º – A ANLI não se responsabiliza pelo descredenciamento de prova anunciada como credenciada, na hipótese da organização não efetivar o pagamento da Taxa de Credenciamento, ou a fizer de forma irregular.

Art. 14º – Para credenciar um evento, o organizador deverá apresentar cadastro junto à Defesa Agropecuária local, a fim de comprovar a emissão das guias de GTA, principalmente da guia de retorno bem como respeitar o regulamento de “bem estar animal” da ABQM, sob pena de exclusão de credenciamento.

Art. 15º – Todas as provas são passíveis de descredenciamento em caso de descumprimento das regras estabelecidas, isentando-se a ANLI de qualquer responsabilidade por tal.

Parágrafo único – O dia 15/11/2022 será a data limite para realização de eventos credenciados para o Ranking 2022, sendo que os eventos posteriores a esta data serão computados/credenciados para o Ranking 2023.

 

Capítulo IV – REGRAS GERAIS DE COMPETIÇÃO

Art. 16º – Para participar de qualquer evento oficial ou oficializado, todo associado deverá cumprir as normas contidas no Manual de Regras de Laço Individual e do Breakaway Roping, publicado em 2021, o qual é parte integrante do presente regulamento (Anexo I).

Art. 17º – Todas as competições, sejam elas oficiais ou oficializadas, devem respeitar o Regulamento de Bem Estar Animal da ABQM (Equinos e Bovinos) e demais normas que regulam a matéria, sob pena de descredenciamento do evento.

Parágrafo único – Nos eventos oficiais em que ocorra julgamento técnico, cujos ganhos sejam computados para fim de Registro de Mérito junto à ABQM, os competidores deverão cumprir as normas do Regulamento de Competições da ABQM, além daquelas previstas no Artigo 16º.

Art. 18º – As competições oficializadas poderão cumular categorias (por exemplo, #1 e # 2 competirem juntas), desde que o evento garanta premiação até 3º lugar de cada categoria (seguindo o mesmo exemplo, seriam premiados os 3 primeiros colocados das categorias #1 e #2).

Art. 19º – Os Associados serão avaliados pela comissão de handicap da ANLI de acordo com seu NÍVEL TÉCNICO, e não por outros fatores, tais como, ser profissional do laço (tanto como atleta ou por treinar cavalos de terceiros), trabalhar em centro de treinamento (auxiliar de treinador ou ajudante geral do haras), receber patrocínio, salário, etc.

Art. 20º – Ao final da temporada 2022, a comissão de handicap reavaliará todos os competidores, a fim de promover/rebaixar de categoria os competidores que competiram nesta temporada.

 

Capítulo V – CARD

Art. 21º – Para que o Associado da ANLI participe do Ranking ANLI 2022, deverá obrigatoriamente adquirir o CARD, de acordo com a categoria do seu handicap:

I) FIDELIDADE (R$250) – Associados que pretendem contribuir para a ANLI, mas não irão competir;

II) CATEGORIA 4 (R$700) – Associados ranqueados no handicap 4;

III) CATEGORIA 3 (R$650) – Associados ranqueados no handicap 3;

IV) CATEGORIA 2 (R$550) – Associados ranqueados no handicap 2;

V) CATEGORIA 1 (R$350) – Associados ranqueados no handicap 1;

VI) BREAKAWAY FEMININO (R$300) – Associados ranqueados no Breakaway Feminino;

VII) BREAKAWAY JOVEM (R$300) – Associados ranqueados no Breakaway Jovem, com até 13 anos;

Parágrafo primeiro – Somente serão ranqueados pela ANLI os competidores que adquirirem o CARD e estiverem em dia com o pagamento. Todos os benefícios relativos a eventos e premiações organizados pela ANLI serão destinados exclusivamente aos competidores que possuírem o CARD.

Parágrafo segundo – Para fins do Ranking ANLI, apenas serão computados os resultados obtidos após a aquisição do CARD, assim entendidos as vitórias obtidas após a efetivação do pagamento.

Art. 22º – Quando da aquisição do CARD, o Associado deverá efetuar o pagamento a vista ou cartão de crédito, com a data máxima no dia 30/09/2022, sendo que aquisições posteriores a 30/09/2022 não serão aceitas, exceto para a inscrição das Provas Técnicas.

Art. 23º – Serão aceitos pagamentos feitos através de Transferência, DOC/TED, PIX ou Cartão de Crédito, a compra com Cartão poderá ser parcelada e ser efetuada pelo site da ANLI, ou, quando da realização dos eventos oficiais, diretamente no escritório da Associação.

Art. 24º – O não pagamento no ato do cadastramento, acarretará na suspensão do CARD do Associado, e eventuais ganhos por ele obtidos durante o período de inadimplência não serão computados no ranking.

Parágrafo único – Se o atraso no pagamento do CARD for superior a trinta dias, no Valor devedor incidirão multa de 10% (dez por cento), juros de mora de 1% ao mês e correção monetária pelos índices do TJ/SP, e o Associado só́ poderá voltar a realizar inscrições nos eventos oficiais da ANLI ou adquirir o CARD nos anos subsequentes após a quitação integral do saldo devedor junto à Associação.

 

Capítulo VI – PONTUAÇÃO E RANKING – COMPETIÇÕES DE LAÇO INDIVIDUAL

Art. 25º – O Ranking Oficial da ANLI irá computar os ganhos obtidos pelo Associado em eventos oficiais e oficializados. Entende-se como ganho o valor efetivamente obtido pelo Associado naquela competição, incluindo premiação da prova, premiação em rounds, em médias ou em fast time, todos estes ganhos de um mesmo competidor, serão somados ao seu ranking.

Parágrafo único – Não serão computadas as premiações por finais de campeonatos regionais.

Art. 26º – Nas provas realizadas pela ABQM, o competidor que objetivar que o prêmio seja computado ao ranking da ANLI, deverá pagar a taxa de credenciamento da inscrição (R$ 25,00 por inscrição).

Art. 27º – Caso o Associado obtenha mais de um prêmio no mesmo evento da ABQM, somente serão computados no ranking os valores da maior premiação conquistada.

Parágrafo único – Nos eventos da ABQM não serão computados ao ranking premiações obtidas nas categorias destinadas a cavalos castrados.

Art. 28º – Tendo em vista que o handicap da ANLI é diferente daquele utilizado pela ABQM, para fins de atender a norma dos artigos anteriores, as categorias serão equivalentes ao quadro abaixo:

Capítulo VII – GRANDE FINAL – LAÇO INDIVIDUAL

Art. 29º – Participarão da Grande Final apenas e tão somente os 15 (quinze) Associados que mais somarem dinheiro durante o ano em cada categoria, de acordo com o ranking da ANLI.

Parágrafo primeiro – Caso algum dos Associados que estiver dentre os 15 (quinze) melhores do ranking não confirme sua participação na Grande Final, a vaga será preenchida respectivamente em ordem a partir do 16º colocado.

Parágrafo segundo – O competidor deverá confirmar sua presença na Grande Final assim que o ranking anual for fechado, sendo que o prazo limite para assegurar a vaga será determinado e divulgado oportunamente pela ANLI.

Art. 30º – O formato da Grande Final será realizada na seguinte forma:

  • Categoria #4 – 6 (seis) rounds e média
  • Categorias #3, #2 e #1 – 4 (quatro) rounds e média

Art. 31º – A comissão organizadora da Grande Final poderá estabelecer critérios específicos da prova, tais como medida do brete, barreira e demais particularidades do evento, de acordo com as condições da arena em que o evento será realizado.

Art. 32º – A ordem de entrada dos competidores nesse evento seguirá a ordem do ranking ANLI, de forma decrescente (o último classificado no ranking será o primeiro a competir), seguindo este critério a cada round.

Parágrafo primeiro – Em caso de empate em quaisquer das posições, será realizado o rateio da premiação de ambas as posições disputadas.

Parágrafo segundo – A premiação da Grande Final, rounds e média, será computada no ranking geral.

Parágrafo terceiro – Após a disputa da Grande Final, será finalizado o ranking do Campeonato Nacional da ANLI, com a definição do CAMPEÃO NACIONAL e as demais colocações.

Art. 33º – Os Campeões Nacionais 2022 e os Campeões da média da Grande Final ganharão FIVELAS, além da premiação em dinheiro. Após a Grande Final, os competidores classificados de 1º ao 3º lugar no Campeonato Nacional receberão troféus.

Art. 34º – Os valores das premiações do Campeonato Nacional 2022 e da Grande Final serão divulgados posteriormente, de acordo com os patrocínios obtidos e valores arrecadados com a venda do CARD.

 

Capítulo VIII – PONTUAÇÃO E RANKING – BREAKAWAY ROPING

Art. 35º – Nas competições de Breakaway Roping, o ranking não computará os valores das premiações obtidas pelos Associados, mas obedecerá a tabela abaixo estabelecida, conforme a quantidade de competidores:

Art. 36º – As Provas de Breakaway Roping obedecerão o Manual de Regras de Laço Individual e Breakaway Roping, publicado em 2021, o qual é parte integrante do presente regulamento (Anexo I), conforme mencionado no Artigo 16º deste Regulamento, cumprindo destacar que:

a) A prova deverá ser cronometrada, com tempo limite de 1 minuto;

b) O equino deverá partir do brete atrás da barreira;

c) Se quebrar a barreira, será penalizado com acréscimo de 10 segundos ao tempo;

d) O laço deve ser atado ao pito da sela por um fio de barbante, de modo que o laço se solte da sela logo a corda ser totalmente esticada;

e) A extremidade do laço atada ao pito o(a) Competidor(a) deverá conter pano, fita ou lenço de cor, com a finalidade de auxiliar o Juiz de pista na aferição do tempo;

f) O(A) competidor(a) terá seu tempo anulado caso arranque propositalmente o laço do pito da sela com a mão, ou toque nele ou no barbante após arremessar o laço;

g) Caso a corda enrosque no pito da sela ou não se desprenda, quando o bezerro puxá-la até o fim, o(a) competidor(a) será desclassificado(a);

h) O tempo será computado a partir do momento que a barreira abrir até o rompimento do barbante que prende o laço ao pito da sela.

i) Não serão admitidas laçadas antes que a bandeira da barreira tenha sido baixada;

j) A laçada legal é aquela que entra pela cabeça do bezerro e em seguida fica segura em qualquer parte do bezerro, causando o rompimento do barbante preso ao pito da sela;

k) Não é permitido laçar o bezerro sem soltar a mão do laço;

l) O laço não pode passar através do freio, gamarra, corda no pescoço ou qualquer outro dispositivo;

m) Poderão competir na categoria jovem os associados que em janeiro de 2022 contem com até 13 anos completos.

 

Capítulo IX – GRANDE FINAL – BREAKAWAY ROPING

Art. 37º – Participarão da Grande Final apenas e tão somente os 15 (quinze) Associados que mais somarem pontos durante o ano em cada categoria, de acordo com o ranking da ANLI.

Parágrafo primeiro – Caso algum dos Associados que estiver dentre os 15 (quinze) melhores do ranking não confirme sua participação na Grande Final, a vaga será preenchida respectivamente em ordem a partir do 16º colocado.

Parágrafo segundo – O Associado deverá confirmar sua presença na Grande Final assim que o ranking anual for fechado, sendo que o prazo limite para assegurar a vaga será determinado e divulgado oportunamente pela ANLI.

Art. 38º – O formato da Grande Final será o seguinte:

  • Categoria Feminino – 3 (três) rounds e média
  • Categorias Jovem – 3 (três) rounds e média

Art. 39º – A comissão organizadora da Grande Final poderá estabelecer critérios específicos da prova, tais como medida do brete, barreira e demais particularidades do evento, de acordo com as condições da arena em que o evento será realizado.

Art. 40º – A ordem de entrada dos competidores nesse evento seguirá a ordem do ranking ANLI, de forma decrescente (o último classificado no ranking será o primeiro a competir), seguindo este critério a cada round.

Parágrafo primeiro – Em caso de empate em quaisquer das posições, será realizado o rateio da premiação de ambas as posições disputadas.

Parágrafo segundo – A pontuação da Grande Final, incluindo rounds e média, será computada no ranking geral.

Parágrafo terceiro – Após a disputa da Grande Final, será finalizado o ranking do Campeonato Nacional da ANLI, com definição do(a) Campeão(ã) Nacional e as demais colocações.

Art. 41º – Os Campeões Nacionais 2022 e os Campeões da média da Grande Final ganharão FIVELAS, além da premiação em dinheiro. Após a Grande Final, os competidores classificados de 1º ao 3º lugar no Campeonato Nacional receberão troféus.

Art. 42º – Os valores das premiações do Campeonato Nacional 2022 e da Grande Final serão divulgados posteriormente, de acordo com os patrocínios obtidos e valores arrecadados com a venda do CARD.

 

Capítulo X – INFRAÇÕES E PROCESSO DISCIPLINAR

Art. 43º – O Associado que infringir disposições disciplinares constantes no Estatuto Social da ANLI, do Regulamento de Competições de 2022 ou do Regulamento de Bem Estar da ABQM (tanto para equinos como para bovinos), tornar-se-á passível de sofrer a aplicação das penalidades previstas no (Anexo II – Tabela para Infrações e Punições) deste Regulamento.

 

Art. 44º – As sanções decorrentes de processos administrativos disciplinares serão aplicadas em harmonia com o princípio da proporcionalidade em relação às correspondentes infrações.

Art. 45º – A apuração das infrações disciplinares, dar-se-á através do competente Processo Administrativo, mandado instaurar pela Diretoria da ANLI, que nomeará Comissão Disciplinar Processual com tal finalidade.

Art. 46º – O Processo Administrativo iniciar-se-á com a notícia, devidamente fundamentada, da infração cometida, contendo:

  1. Dia, hora e local da ocorrência;
  2. Nome e qualificação do associado apontado como infrator e das testemunhas, quando houver;
  3. Exposição sumária dos fatos;
  4. Descrição e apresentação das provas eventualmente colhidas;
  5. Qualificação e assinatura do denunciante ou envio de denúncia através do e-mail cadastrado na ANLI.

Art. 47º – Todo e qualquer associado que presenciar ou tomar conhecimento de fato e/ou condutas de natureza infracional, poderá representar junto a Diretoria da ANLI, requerendo a instauração do competente Processo Administrativo.

Parágrafo primeiro – A representação será rejeitada de plano, se não for apresentada dentro de Trinta (30) dias da ocorrência dos fatos.

Parágrafo segundo – Depois de devidamente instruído, a Comissão Disciplinar Processual elaborará seu relatório ou conclusão, que proporá a absolvição ou aplicação de uma pena ao(s) indiciado(s), remetendo-o à Diretoria.

Art. 48º – Os casos omissos na presente circular serão analisados pela Diretoria da ANLI, observando a legislação vigente.

 

Capítulo XI – MANUAL DE CONDUTA DO JUIZ

Bem vindo ao desafio de julgar uma prova!

Não existem atalhos para o sucesso. Somente a partir de seu próprio esforço haverá progresso. Com o crescimento das provas, produz uma necessidade cada vez maior de juízes qualificados. A presença de um juiz qualificado facilita o andamento do evento, além de proporcionar, não somente vencedores ou perdedores, e sim um julgamento justo e imparcial.

Julgar não é uma tarefa fácil, porém o juiz deve dedicar-se, ter sempre em mente seus objetivos e alcançá-los caso deseje obter sucesso na profissão. O objetivo básico:

Fazer com que a prova corra regularmente de acordo com as regras.

A obrigação do juiz não é somente aplicar a regra ao pé da letra, e sim, prevenir para que a infração não aconteça, também é importante.

As infrações podem ser prevenidas de duas maneiras:

1) Estabelecendo-se uma influência inquestionável sobre o esporte

2) Prevenindo infrações específicas

Estabelecendo sua Influência

Na maioria dos casos, os competidores evitam as penalidades devido às suas consequências. O orgão oficial ANLI, esclarece antes da prova as regras estabelecidas para que não haja nenhuma dúvida sobre o poder de influência do juiz.

O juiz deve estar bem preparado desde o primeiro momento da competição para que possa fazer valer a regra de maneira rápida e sem hesitação.

As duas maneiras de estabelecer influência são:

1) Estando sempre na melhor posição para observar e ser observado

2) Reagindo imediatamente a qualquer infração

Quando os competidores estão de acordo e seguindo as regras o resultado é sempre satisfatório.

Prevenção

Sempre que houver uma falta o juiz deve fazer valer a regra, porém, deve prevenir qualquer falta e até se preciso chamar o competidor de lado e tentar dissuadi-lo de cometer a falta. A ação direta deve e pode ser preventiva tanto como curativa.

Esta prevenção deve ser feita de maneira apropriada e será aprimorada com tempo e experiência do juiz.

Os Requerimentos Essenciais

Existem quatro requisitos básicos que devem ser seguidos para o sucesso do julgamento:

1) Fazer valer a regra de forma inteligente

2) Demonstrar integridade e ser justo

3) Construir boas relações humanas

4) Demonstrar respeito pelo competidor individualmente

Qualidades de um juiz competente

1) Ter conhecimento preciso das regras

2) Estar sempre atualizado

3) Ter bom posicionamento na pista (isso não é uma regra, é apenas uma orientação. Sendo a Prova de Laço Individual ao lado esquerdo e Prova de Breakaway Roping ao lado direito)

4) Demonstrar empenho

5) Tomar decisões e não voltar atrás

6) Ter bom senso, não perder a cabeça

7) Ter regularidade

8) Ser corajoso, não deixar que os outros o intimidem

9) Estar sempre disponível, ser cortês e ter respeito a todos

10) Ser objetivo, evitar controvérsias

11) Reagir rapidamente, estar sempre concentrado

12) Estar sempre vestido apropriadamente

13) Um juiz deverá chegar pelo menos com 1 hora de antecedência e fazer as devidas averiguações de brete, barreira, gado, pista em geral e verificar com os cronometristas, se tem o devido conhecimento da prova.

Essas são referências básicas para o desempenho de um bom juiz!

 

ANEXO I

MANUAL DE REGRAS LAÇO INDIVIDUAL – CRONÔMETRO

1) Requisitos Gerais

O Competidor deverá laçar o bezerro e desmontar do animal. O bezerro deverá estar em pé ou ser erguido pelo competidor na altura proporcional ao animal em pé, com as patas para baixo, para, em seguida, levá-lo ao chão. Em seguida, o competidor deverá cruzar e pear três patas do bezerro. Para classificar como nó legal deverá ter, pelo menos uma volta em torno das três patas e uma meia laçada. Três patas deverão permanecer cruzadas e atadas por 6 segundos. Este tempo será contado após o competidor montar novamente em seu animal e afrouxar a corda. O laço deverá permanecer frouxo até que o juiz aprove o nó. Se o bezerro levantar antes que o nó tenha sido aprovado pelo juiz, a apresentação será marcada como sem aproveitamento.

2) Quebra da Barreira

O competidor deverá largar atrás da barreira. Uma penalidade de dez segundos será acrescentada ao tempo da prova pela quebra da mesma. O mesmo ocorre se o animal pular a barreira. Em caso de algum acidente de barreira com o competidor ou falha da mesma o competidor deverá se dirigir ao juiz de prova que julgará se o competidor terá o direito de outro bezerro. Se o competidor tiver direito a outro bezerro, ele retornará ao brete na mesma inscrição no final de folha.

Lembrando que o tamanho da barreira fica a critério do juiz e dos organizadores do evento, levando em consideração as dimensões da pista.

3) Tempo Limite

Após a pista ser liberada e o bezerro pronto, o competidor terá 60 segundos para iniciar a prova. Haverá um tempo limite 30 segundos para conclusão da prova.

4) Motivos de desclassificação

a) Terminada a prova, se o competidor tocar na peia ou laço, antes de montar o seu animal

b) Se o competidor quebrar as duas barreiras

c) Se o competidor tocar nas rédeas do animal para arrastar o bezerro de maneira intencional

d) Após o competidor levantar as mãos, será tolerado que o animal arraste o bezerro por no máximo 5 (cinco) metros, onde será medido pelo juiz da prova, com equipamento de aferição.

e) Qualquer tentativa de laçar o bezerro antes do desarme da barreira será desclassificado

f) O não uso da pescoceira no cavalo será motivo de desclassificação

g) Por qualquer parte do corpo que o bezerro for laçado, até que o competidor toque nele e o bezerro estiver seguro, será válido.

h) Quando o competidor tiver que tirar a corda do bezerro por motivo de não ter laçado o pescoço, os seis segundos em que as pernas do bezerro deverão permanecer cruzadas e atadas serão contados após levantar as mãos.

5) Todas as competições da ANLI deve ser com traje western completo.

6) Antes do início da prova, o juiz demarcará a área que se o bezerro negar e não tiver quebrado a barreira pelo competidor, ele terá direito a outro animal no final de folha.

7) Permitido qualquer tipo de laçada, preservando sempre o animal, o juiz terá autonomia para desclassificar o competidor caso perceba o mau trato ao mesmo.

8) Todo e qualquer equipamento esta liberado, desde que não cause maus tratos ao animal.

9) O juiz da prova é a autoridade máxima na prova, e junto com a comissão organizadora, poderá resolver também as dúvidas não previstas no regulamento.

PROVAS TÉCNICAS E POTRO DO FUTURO ANLI

1) As Provas: Potro do Futuro, Prova Técnica e Derby, seguirão o modelo e regulamento das provas técnicas, já definido e existente pela ABQM.

A prova deverá respeitar o regulamento de “bem estar animal” da ABQM.

 

MANUAL DE REGRAS BREAKAWAY ROPING

As Provas de Breakaway Roping ANLI 2021, seguirão o regulamento geral da ABQM.

Itens importantes:

a) Prova cronometrada com tempo limite de 1 minuto.

b) Animal parte do brete atrás da barreira.

c) Quebrar a barreira acrescenta 10 segundos ao tempo, como penalidade.

d) O laço deve ser atado ao pito da sela e estar ligado à sela por um fio de barbante de modo que permite que o laço se solte quando o bezerro esticá-lo até o fim.

e) Deverá estar preso à ponta do laço (que está presa no pito da sela) um pano, fita ou lenço de cor, com a finalidade de ajudar o juiz de pista a enxergar quando este se desprender.

f) O competidor(a) terá seu tempo anulado caso arranque o laço do pito da sela com a mão ou toque nele ou no barbante após haver laçado o bezerro. Caso a corda enrosque no pito da sela ou não se desprenda, quando o bezerro puxá-la até o fim, o competidor(a) será desclassificado(a) nessa laçada.

g) O tempo será computado a partir do momento que a barreira abrir até o rompimento do barbante que prende o laço ao pito da sela.

h) Não se pode tentar laçar o bezerro antes que a bandeira da barreira tenha sido baixada.

i) A laçada legal é aquela que entra pela cabeça do bezerro e em seguida fica segura em qualquer parte do bezerro, causando o rompimento do barbante preso ao pito da sela.

j) Não é permitido laçar o bezerro sem soltar a mão do laço.

k) O laço não pode passar através do freio, gamarra, corda no pescoço ou qualquer outro dispositivo.

 

A Diretoria